Piada com tapa no novo ‘Bad Boys’ representa volta de Will Smith ao topo das bilheterias; entenda

0
20

Ao g1, ator fala que atuar com amigo Martin Lawrence foi importante após anos difíceis. Grande hit de 2024, filme bateu bilheteria global de US$ 100 milhões no 1º fim de semana. Will Smith e Martin Lawrence falam sobre ‘Bad Boys: Até o fim’
“Bad Boys: Até o fim” sabe que os últimos anos não foram fáceis para seu grande astro, Will Smith. O quarto filme traz de volta o humor debochado que marcou a série cinematográfica conhecida pela ação – e brinca até com o infame tapa dado pelo ator em Chris Rock, no Oscar 2022.
Em seu primeiro fim de semana de exibição, o filme arrecadou US$ 100 milhões em todo mundo. Ele se tornou o primeiro grande lançamento do verão norte-americano de 2024 e teve uma estreia acima das expectativas. Segundo o mercado americano, 44% do público tinha entre 18 e 34 anos, o que mostra a força de Smith entre os mais jovens.
No Brasil, o filme ficou na primeira posição e bateu a marca de R$ 9,24 milhões de renda. A cifra é mais do que o triplo do que o segundo colocado “Planeta dos Macacos: A Origem”, no mesmo período.
Filme mais leve, após ‘climão’ pós-tapa
Para o ator, o novo “Bad Boys” foi a melhor forma de voltar a trabalhar, após um tempo de afastamento por causa das críticas à sua atitude na premiação e a revelação do fim de seu casamento de quase 20 anos.
O filme também é um reencontro com Martin Lawrence, seu parceiro e amigo desde que o primeiro filme lançou sua carreira cinematográfica em 1995, e com os diretores Adil El Arbi e Bilall Fallah, com quem a dupla já tinha trabalho em “Bad Boys para sempre” (2020).
“Essa ideia se apresentou como algo quente. E trabalhar com o Martin novamente pareceu perfeição absoluta”, afirma Smith ao g1.
“Senti também que o mundo está em um momento muito difícil no geral, e a alegria e diversão e comédia e ação de ‘Bad Boys’ pareceu a melhor coisa a fazer por diversos motivos.”
Martin Lawrence e Will Smith em cena de ‘Bad Boys: Até o fim’
Divulgação
Papéis invertidos
Em “Até o fim”, os detetives interpretados por Smith e Lawrence viram fugitivos procurados enquanto buscam provas para provar a inocência de seu antigo capitão e mentor (Joe Pantoliano).
A trama direta e simples de Chris Bremmer (“Bad Boys para sempre”) e Will Beall (“Liga da Justiça de Zack Snyder”) preenche os espaços com a ação alucinada popularizada por Michael Bay, criador da franquia, e humor – o ponto forte de seus astros.
Em um momento, o filme brinca até com o famigerado tapa, em um momento que os protagonistas (e os diretores) definem como um possível “spoiler” e que inverte a situação para Smith.
“O Will só me falou: ‘Se você vai fazer, não fique brincando’”, conta Lawrence.
“E chegou em um ponto em que ele sabia desviar. Ele usou um pouco de seu treinamento de ‘Ali’ e ele sabia como desviar.”
Will Smith e Martin Lawrence em cena de ‘Bad Boys: Até o fim’
Divulgação
Anos difíceis
O Oscar 2022 tinha tudo para ser a grande festa de Smith. Naquele ano, ele levava sua primeira estatueta, como melhor, por “King Richard” (2021). No entanto, a maior parte das pessoas lembra da cerimônia pelo que aconteceu momentos antes.
Durante a apresentação da categoria de melhor documentário, Chris Rock fez uma piada com o cabelo raspado de Jada Pinkett Smith, mulher de Will. O astro então se levantou e deu um tapa na cara do comediante.
O incidente rendeu inúmeras críticas ao ator, que pediu desculpas, abriu mão de sua filiação na Academia de Artes e Ciências de Hollywood e seu eventual banimento de qualquer evento da organização por 10 anos – incluindo, é claro, o Oscar.
Um ano depois, Pinkett Smith revelou que estava separada de Will desde 2016. Apesar disso, o ex-casal defendeu que não iria se divorciar e que a relação profissional continuaria.
Tanto que os dois apareceram juntos na estreia de “Até o fim” em Los Angeles, na última sexta-feira (31).
Martin Lawrence e Will Smith em cena de ‘Bad Boys: Até o fim’
Divulgação
Polícia de fantasia
Com dois protagonistas policiais, a série de filmes já foi acusada antes de ser um produto da chamada “copaganda” – propaganda da polícia. Mas os diretores defendem a franquia.
“Nós entendemos as questões sobre esse aspecto. Apesar de que o filme não seja sobre super-heróis, ou ‘Velozes e furiosos’, ele ainda é meio que um mundo de fantasia exagerada”, diz El Arbi.
“É a nossa versão de Miami. Os ‘Bad Boys’ têm seu próprio universo, não acontece no universo real. É um filme diferente.”
A dupla também passou por momentos difíceis. Em 2022, eles estavam prestes a lançar seu primeiro filme no gênero de adaptações dos quadrinhos, “Batgirl”, quando o lançamento foi cancelado pelo estúdio. Desde então, a produção, que já estava filmada, entrou em um limbo.
“Até o fim” é seu primeiro projeto desde então – e pode fazer a diferença para que a super-heroína seja vista pelo público.
“Assistam a ‘Bad Boys’ para saber como ‘Batgirl’ seria. Um dia, se tivermos poder suficiente…”, levanta Fallah, para o corte de Al Arbi.
“Se chegarmos ao nível de Christopher Nolan, quem sabe? Tudo é possível.”

Fonte: G1 Entretenimento